Simples Nacional: Tudo que você não sabia!

Simples Nacional

Compartilhe nas redes!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Bom, antes de saber tudo em relação ao Simples Nacional, vamos explicar do início.

O que é Simples Nacional?
Simples Nacional é um regime tributário de arrecadação, cobrança e fiscalização de tributos. O Simples Nacional foi criado pela Lei Geral para tornar mais fácil a vida de um empreendedor que possui uma empresa de pequeno porte. Esse regime unifica oito impostos em um único boleto e reduz sua carga tributária facilitando muito a vida do empreendedor.
Mesmo que o Simples Nacional seja um regime simples de aplicar ao seu negócio, ele é bem mais complexo do que muitos acreditam.
Esse regime tem levantado algumas dúvidas de empreendedores o tempo todo, que vamos discutir aqui de uma forma bem mais simples. Você saberá tudo o que se encaixa ou não nesse regime, como sua empresa pode ser beneficiada com o mesmo, como pode ser feito o cálculo de suas taxas e optar pelo sistema.

Vantagens e desvantagens

Vantagens

• Arrecadação única de 8 tributos por meio de uma só alíquota;
• Não é necessário efetuar o cadastro para cada instância (Federal, Estadual e Municipal). O CNPJ no Simples é o único identificador da inscrição da empresa, tornando tudo mais simples;
• O participante do regime tem dispensa da contribuição de 20% do INSS Patronal na Folha de Pagamento, o que gera uma redução de custos trabalhistas;
• Facilita muito o processo de contabilidade.

Desvantagens

Os impostos do Simples tem como base de cálculo o faturamento anual e não o lucro. É preciso, então, estudar o caso da empresa, para que ela não pague impostos altos mesmo estando em prejuízo. Se esse é o caso, os outros regimes são mais interessantes.
Empresas optantes pelo Simples Nacional não marcam na nota fiscal o quanto foi pago de ICMS e IPI e isso faz com que os clientes não possam aproveitar os créditos de impostos (recolher parte do valor de volta), o que pode ser desencorajador para alguns clientes. Portanto, dependendo do seu ramo de negócio e do retorno de créditos de impostos, deve-se prestar bastante atenção nesse ponto para não afastar clientes.
Empresas de Pequeno Porte (EPP) têm um limite extra, que é o de exportações. A empresa pode declarar receita bruta anual de até R$7,2 milhões, sendo no máximo R$3,6 milhões no mercado interno e R$3,6 milhões em exportação de mercadorias e serviços, o que pode desencorajar o empreendedor a crescer.
É preciso estar atento nas alíquotas, pois há atividades que se encaixam no Simples, mas o valor da alíquota não compensa a adesão a esse sistema. Em geral, a regra é: Quanto maior o gasto com folha de pagamento, maior a chance da opção pelo Simples ser vantajosa. Portanto, analise bem e coloque na ponta do lápis para descobrir qual a melhor opção para o seu caso em específico.

Compartilhe nas redes:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Posts Relacionados

CIAP: como funciona?

Compreender a importância do Controle de Crédito do Ativo Permanente é extremamente necessário para evitar irregularidades

Ideias para motivar, melhorar a qualidade de vida e tornar seus colaboradores mais produtivos.

Além dos benefícios trabalhistas obrigatórios por lei e os tradicionais como Vale Refeição e Plano de Saúde, algumas empresas oferecem vantagens extras aos seus colaboradores como complemento de remuneração. O objetivo é reter talentos e aumentar a produtividade das equipes. Esses podem fazer a diferença para o colaborador. É o que diz Ronn Gabay, especialista em benefícios na Bematize.

Back To Top